Maternidade e carreira: vantagens competitivas que as mães tem no trabalho

Compartilhe

Maternidade e carreira: vantagens competitivas que as mães têm no trabalho

Conciliar maternidade e carreira é um dos principais desafios das mulheres. Por isso, essa deve ser uma pauta levantada não só pelas mães, mas por todas as pessoas. 

Uma pesquisa realizada pela FGV revelou que quase metade das mulheres que tiram licença maternidade saem do mercado de trabalho em até 24 meses após o afastamento. Na maior parte dos casos esses desligamentos são realizados por iniciativa da pessoa empregadora e sem justa causa. 

Por lei, toda mulher tem direito a um afastamento remunerado com duração de 120 dias para cuidar do bebê. Além disso, a estabilidade no emprego deve ser garantida por pelo menos 5 meses após o nascimento da criança. 

Leia também: maternidade e trabalho, quais são as políticas de parentalidade da sua empresa?

Nesse artigo quero trazer minhas percepções sobre as habilidades que as mulheres desenvolvem junto com a maternidade e podem ser aplicadas ao universo do trabalho, tornando-as ainda mais valiosas para as empresas. Mas antes, vamos falar um pouco sobre como algumas companhias tratam a maternidade? 

Principais mitos relacionados à maternidade e carreira

“Em algum momento, toda mulher vai precisar escolher entre maternidade e carreira”

Felizmente, essa não é mais uma realidade, se é que algum dia foi. Muitas mulheres não desejam e outras realmente não podem parar de trabalhar após a maternidade. 

Atualmente, quase metade dos lares brasileiros é chefiado por mulheres, conforme o IBGE. O que significa que as mães não estão cuidando de seus filhos com cuidado e carinho, mas também são as principais responsáveis por eles financeiramente. 

“O período de licença maternidade deixa as mães desatualizadas”

A licença maternidade é um direito essencial, que garante o bem-estar da mãe e do bebê, em um momento tão importante da vida dos dois. Mas ao contrário do que se possa imaginar, esse período não representa uma desconexão completa do ambiente profissional. 

Atualmente, muitas mulheres se mantêm atualizadas durante a licença, seja através de estudos, cursos, leituras ou pela participação em grupos profissionais online — o que é indicado para qualquer pessoa. Além disso, no retorno ao trabalho após a licença maternidade, as mulheres costumam voltar com as energias renovadas e carregando novas perspectivas que contribuem especialmente para o trabalho em grupo.

Leia também: preconceito de gênero no trabalho, como se manifesta e como acabar com ele 

“Um cargo de liderança exige tempo demais, não é para mães”

Essa é uma visão bastante antiquada, que desconsidera o potencial das mulheres como gestoras.  Na realidade, a experiência da maternidade desenvolve nas mulheres características essenciais de liderança, como empatia, habilidades de comunicação e capacidade de tomada de decisão. 

Mais que isso, a maternidade desenvolve a capacidade de solucionar problemas complexos em menos tempo e escancara a necessidade de se criar ambientes de trabalho mais inclusivos, tanto para outras mães, quanto para outras pessoas diversas.

Leia também: empresas mais inclusivas, equipes mais felizes

Na verdade, como você pode perceber, com a chegada de uma criança na família, as mães desenvolvem habilidades importantíssimas. Além de terem mais responsabilidades, nesse cenário as mulheres ficam mais ligadas à ideia de servir de exemplo e deixar um legado, por isso, se tornam ainda mais produtivas.

Nesse artigo da Gupy, são citadas as 12 principais competências profissionais requisitadas pelas empresas, entre elas, muitas podem e são desenvolvidas durante a maternidade.

1. Gestão de tempo

Organizar a agenda de uma crianças pode ser tão ou mais difícil que gerir uma agenda no trabalho. A conciliação das necessidades e compromissos envolvidos na criação de um filho é um desafio que prepara mães até para o cenário mais caótico que podem encontrar em uma organização. 

A maioria das mães vive maratonas diárias para dar conta dessa dupla jornada, e essa realidade impulsiona o desenvolvimento de habilidades como a gestão de tempo e priorização de tarefas, afinal, não tem como dar conta de tudo sem muita organização. O que nos leva ao próximo tópico.  

2. Organização

Gerenciar filhos exige muito planejamento e organização, afinal, as mães mais do que ninguém sabem que, mesmo quando ele não é seguido à risca, sem um planejamento prévio, tudo pode se tornar mais difícil. 

Essa habilidade é refletida rapidamente no ambiente corporativo, muitas mães têm a  habilidade de demonstrar a importância da organização não só para o próprio trabalho, como para o time como um todo. Responsabilidade e autonomia são características especialmente valorizadas após a maternidade. 

3. Trabalho em equipe

Lidando com a complexidade de cuidar de um filho, as mães precisam aprender a buscar apoio e realizar conexões com outras pessoas para encontrar soluções conjuntas. Por isso, as mães desenvolvem uma mentalidade colaborativa que se estende para todas as esferas de suas vidas, inclusive e principalmente para o ambiente de trabalho.

Profissionais mães se tornam mais propensas a buscar e oferecer suporte aos colegas, através de feedbacks e de ações práticas, promovendo mais trocas de ideias e construindo laços mais fortes entre as pessoas da equipe.  

4. Comunicação

As mães também desenvolvem muito a suas habilidades de comunicação, afinal, elas precisam interpretar a linguagem corporal dos filhos e compreendê-los mesmo antes que aprendam a falar. Depois, precisam desenvolver a aptidão de ouvi-los com atenção,  ensiná-los, corrigi-los, sempre de forma clara e objetiva, afinal, é uma criança.

Dentro de uma empresa, como na sociedade como um todo, a habilidade de saber ouvir e se comunicar de forma transparente e objetiva é um grande diferencial e nesse aí, as mães saem um passo à frente.  

5. Flexibilidade

A maternidade é uma das maiores mudanças que alguém pode vivenciar, se adaptar a essa nova realidade, lidar com imprevistos, viver inúmeras situações pela primeira vez em um curto período de tempo… Tudo isso possibilita que mulheres mães se tornem mais flexíveis em relação às próprias demandas e na tratativa com outras pessoas. 

Mães também são experts em priorizar tarefas. Estão sempre prontas para mudar, reinventar a realidade e se adaptar ao cenário do momento. 

6. Empatia

A empatia é a capacidade de perceber e interpretar as emoções e sentimentos de outra pessoa. Durante a jornada da criação de uma criança, a mãe se obriga a aprender a identificar os sentimentos de outra pessoa, se colocar no lugar dela e encontrar caminhos a partir disso. 

Sem dúvidas, essa habilidade se estende para outras relações, especialmente para relações de trabalho. A habilidade de olhar em volta, identificar necessidades e sentimentos da equipe, pode trazer muito mais harmonia para um time.

7. Capacidade de tomada de decisão

Ao enfrentar a responsabilidade de cuidar de uma criança, as mães aprendem a avaliar rápida e criteriosamente as opções, considerar os impactos a curto e longo prazo e tomar decisões assertivas para o bem-estar da criança. 

Essa prática constante de tomar decisões cruciais para a vida de outra pessoa fortalece a confiança e a capacidade das mulheres de tomar decisões no ambiente profissional. Mães se tornam mais ágeis em analisar informações, identificar soluções e, principalmente, em assumir a responsabilidade pelos resultados. 

8. Habilidade de delegar

A experiência da maternidade ensina melhor do que qualquer outra que fazer as coisas sozinha torna o caminho muito mais árduo. Infelizmente não são todas as mães que podem contar com uma rede de apoio completamente estruturada, mas, independente da estrutura familiar, a maternidade exige que a habilidade de delegar tarefas seja desenvolvida. 

Por isso, quando está à frente de um time, uma mulher que é mãe pode identificar com muita agilidade os pontos fortes de cada liderado ou liderada e delegar as tarefas que cada pessoa desenvolve melhor, tornando o time mais ágil e produtivo. 

Por que desenvolver lideranças femininas para a sua empresa? 

Agora que você já conhece algumas das habilidades que mulheres desenvolvem na maternidade, é hora de se tornar uma pessoa aliada às mães na discussão de equidade de gênero da sua empresa. 

As crenças de que mães não se dedicam 100% aos seus trabalhos ou que não podem assumir cargos de liderança são infundadas e limitantes. Uma pesquisa realizada pela Leadership Circle, que avaliou 84 mil pessoas em posição de liderança, através de mais de 1,5 milhão de avaliações, apresentou um resultado importante: mulheres se saem melhor na liderança.

A pesquisa mostra que mulheres são melhores no que os pesquisadores chamam de competências criativas: conexão afetiva, inteligência interpessoal, trabalho em equipe, integridade, entre outras. Além disso, elas também têm menos tendências reativas, o que é uma boa característica para uma pessoa líder. 

Sua empresa precisa de ajuda para desenvolver lideranças femininas? Eu e a Mulheres no Comando podemos ajudar! 

Artigos Relacionados