novologomnc vetor prancheta copia
empoderamento feminino na maturidade

Compartilhe

Facebook
LinkedIn
Twitter

Empoderamento feminino na maturidade

Ainda que falemos muito como mulheres de empoderar-se, por vezes esquecemos que isso não é algo exclusivo das novas gerações, o empoderamento feminino na maturidade vem com muita força mostrar que não há idade para transformar nosso meio e por onde passamos!

Gerontolescência

O Dr. Alexandre Kalache, comenta em uma entrevista: “Eu faço parte dos baby boomers, que é a geração nascida entre 1945 e 1965. Nessa época nasceram muitas crianças, com um nível de saúde e de educação formal muito maior do que o das gerações anteriores.

Com mais saúde e mais conhecimento, nós tivemos grande influência sobre a sociedade. E tiramos proveito do período da adolescência. Até a Segunda Guerra Mundial, as crianças, mesmo nos países mais ricos, tinham de trabalhar para comer.

Aos 12, 14 anos, precisavam pegar no batente. E aí, de súbito, viemos nós, muito numerosos, com mais acesso à saúde, à educação e mais recursos, com dinheiro no bolso.

Passamos a ter o luxo de, por quatro, cinco anos, experimentar, virar a mesa, nos rebelarmos. Agora, que estamos envelhecendo, não o vamos fazer como os nossos pais, que dirá nossos avós.

Estamos criando uma nova transição. É uma população que ao envelhecer continua a querer viver mais e melhor, tem orgulho da sua idade e quer ser produtiva.”

Empoderamento feminino

Eu particularmente, sou do final da geração dos baby boomers, no final da década de 80 quando iniciei no mercado de trabalho, o mundo corporativo era extremamente masculino, muita vezes precisei me masculinizar para ser respeitada e ascender na minha carreira.

Aprendi cedo sobre empoderamento, numa época em que nem se falava de empoderamento feminino. Precisei de muita terapia para sobreviver nesse mercado onde ainda existe um machismo estruturado que tenta anular o feminino.

No livro Mulheres nas Finanças, da Editora Leader, no capítulo de minha coautoria, menciono que o curso de liderança feminina na Fundação Dom Cabral me fez compreender o quanto foi difícil chegar aonde cheguei, bem como me deu subsídios para seguir em frente com um novo olhar.

Entendi o quão importante é o apoio entre as mulheres para que cada vez mais conquistemos posições de liderança no mundo corporativo. Hoje existe um movimento feminista, uma rede de apoio que não existia quando iniciei minha carreira.

Esse curso me fez entender e valorizar o quanto fui desbravadora, sentir orgulho de ser feminista e por ter aberto portas para as gerações futuras de mulheres.

A maturidade me ensinou a respeitar os meus limites, adotar uma alimentação saudável, dormir cedo, bem como matinar para meditar ou rezar, fazer atividade física, entre elas o pilates, que pratico faz mais de dez anos, o treino de musculação e as caminhadas.

As férias passaram a ser inegociáveis, preciso desse tempo para entrar em contato com a natureza, conhecer novas culturas e me energizar. Passei a produzir mais e melhor, bem como controlar o estresse.

A maturidade também me fez entender a importância de exercer uma atividade relacionada ao seu propósito de vida. Ano passado participei da formação de mentoras da Mulheres no Comando onde me realizo mentorando mulheres, descobri que tenho muito a acrescentar com a minha experiência de vida e profissional, tenho muito orgulho em contribuir para liberar o potencial das mulheres no mundo.

Menopausa

Um tema que gostaria de trazer sobre empoderamento feminino na maturidade é a menopausa. De uma hora para outra os hormônios despencam, passamos a sentir:

  • Ondas de calor inconvenientes no meio de uma reunião de trabalho;
  • Dormir mal;
  • Acordar exausta e sem energia para fazer atividade física e para as batalhas do dia que vem pela frente.

Ela chega numa idade em que ainda precisamos produzir:

  • Cuidar da casa;
  • Cuidar dos filhos;
  • E muitas de nós, também dos pais.

Para mim a menopausa sempre foi um tabu, reposição hormonal era sinônimo de câncer, mas recentemente descobri o quanto era ignorante sobre esse tema. Achava que o envelhecimento deveria ser natural, tudo isso mudou quando encontrei uma médica que pratica a medicina da longevidade e nos ajuda a renascer da menopausa.

Assim iniciei a reposição com hormônios bioidênticos e vitaminas, além de amenizar os sintomas da menopausa, traz benefícios estéticos, bem como ajudam a proteger o cérebro e o coração. Uma vez iniciada essa nova fase, a busca pelo equilíbrio continua incluindo a atividade física, a meditação e uma alimentação equilibrada.

Educação Financeira

Outro tema importante para o empoderamento feminino na maturidade é a educação financeira. Com o bônus da longevidade muitas de nós teremos que trabalhar por mais tempo, a previdência social não será suficiente para o sustento na terceira idade.

Se organizar financeiramente, saber quais são suas receitas e despesas hoje e construir reservas de emergência, médio prazo e aposentadoria. Sua principal despesa será você no futuro, seu primeiro item de despesa é você mesma.

Somente gastar o que sobrar depois de investir. É muito mais importante economizar do que ter gastos supérfluos. Sua felicidade está no montante economizado para o futuro.

Realizar sonhos é possível, desde que você saiba quanto ele custa e o esforço econômico para realizá-lo. Basta traçar as metas de curto, médio e longo prazo e focar para atingi-las, mas é necessário esforço, acompanhamento e determinação.

Se preparar para o inesperado, porque é certo que acontecerá. Importante poupar para a aposentadoria e começar cedo para usar o valor do dinheiro no tempo a seu favor.

O resultado desse esforço será chegar na maturidade com um patrimônio acumulado, ou seja, uma mulher ainda mais empoderada.

Conclusão

O empoderamento feminino na maturidade perpassa pelo renascimento da menopausa e independência financeira. O bônus da longevidade nos traz a necessidade de continuar produzindo, mas também traz oportunidades de nos reinventarmos.

Talvez seja o momento de buscar uma nova carreira, mais leve e que tenha haver com o seu propósito de vida. Continuar produzindo numa carga horária menor, voltar a estudar e ter mais tempo para o lazer, atividades físicas e viajar pelo mundo descobrindo e aprendendo com novas culturas.

Nunca é tarde para realizar seus sonhos!

Artigos Relacionados