novologomnc vetor prancheta copia
networking

Compartilhe

Facebook
LinkedIn
Twitter

Porquê o networking com outras mulheres importa

Mulheres sozinhas tem poder, em conjunto temos impacto. Entenda porquê o networking com outras mulheres importa!

Historicamente nós mulheres fomos ensinadas a competir umas com as outras, principalmente considerando que as posições em alta liderança eram poucas e a lógica da escassez imperava.

Mesmo assim, nós nunca conseguimos acessar o “clube do bolinha” e de alguma forma sempre estivemos sentadas em uma mesa que não foi construída para nós. A alguns anos, acho que as mulheres vêm compreendendo, que não precisamos buscar ter um lugar à mesa nesse modelo, precisamos construir uma nova forma de atuar.

Uma nova pesquisa da Harvard Business Review descobriu que, embora homens e mulheres se beneficiem de ter uma rede de colegas bem conectados em diferentes grupos, as mulheres que também têm um círculo íntimo de contatos femininos próximos são mais propensas a ocupar cargos executivos com maior autoridade e salários mais altos.

Enquanto que não foi encontrada nenhuma relação para o sucesso dos homens em termos de composição de gênero de seus círculos íntimos. 

O motivo do porque o networking importa?  

Segundo uma pesquisa realizada pela Mulheres no Comando em parceria com a Mind Miners 54% das mulheres que buscam ascenderem a posições de liderança encontram barreiras, que estão ligadas especialmente a problemas sociais e vieses inconscientes. 

Para superar esses desafios, estudos mostram que ter conexões próximas com outras mulheres que estejam passando pelos mesmos desafios e que apoiam as outras dando direcionamento e abrindo portas conseguem chegar onde desejam com maior facilidade.

Sendo assim descobrimos alguns pontos importantes sobre networking:

1- O Poder está no grupo 

Enquanto levantamos individualmente nossas questões e desconfortos sobre o mercado e nosso ambiente de trabalho, dificilmente nossas vozes serão ouvidas e o problema estará sempre no indivíduo. 

Quantas vezes já não fomos chamadas de: “mulheres difíceis” ou “agressivas” por pontuar situações que nos deixam desconfortáveis ou responder a alguma situação à altura? 

Porém quando são várias pessoas falando a mesma coisa a mensagem muda de tom e passamos a nos fortalecer para que as mudanças realmente aconteçam e as pessoas compreendam que determinados comportamentos, comentários, piadas não são mais aceitáveis hoje no ambiente de trabalho muito menos na vida.

2- Nossas forças tornam a mesa melhor

Sabemos que ter maior representatividade de mulheres em posições de liderança pode trazer até 22% de maior lucratividade para as empresas, isso acontece porque representamos parte de uma população que se via sub representada nas tomadas de decisões. 

Sendo assim, nossas necessidades também não eram atendidas completamente. A diversidade é muito importante, não só da perspectiva de gênero. Se levarmos em consideração as camadas de privilégios: 

  • Cor
  • Poder aquisitivo
  • Estrutura familiar 
  • Educação
  • Opção sexual e afins

Vamos enxergar o mundo além das nossas próprias lentes e até hoje o olhar que temos de mundo, estava baseada apenas na visão do: homem, branco, hetero, cis. Com isso, temos uma visão míope da realidade e consequentemente gerando desfalques enormes, inclusive financeiramente para os negócios.

3- Precisamos ampliar nossas vozes

Uma coisa sobre networking que as pessoas confundem é que não se trata apenas de construir uma rede de relacionamentos profissionais, mas também de desenvolvimento de relações de longo prazo com objetivos em comum. 

Se traçamos como objetivo conjunto mudar a forma com que as mulheres são tratadas e as regras do mercado teremos um movimento muito mais forte. 

Se um grupo de mulheres busca e abre possibilidades umas para as outras, não estão apenas ajudando outras pessoas a crescerem, mas abrindo as portas para mais mulheres se fortalecerem e trazerem outras mulheres. É um movimento cíclico e virtuoso para o nosso crescimento. 

Quando eu criei o Mulheres no Comando o que eu mais queria era ter acesso e poder conversar com outras mulheres que assim como eu, quisessem crescer e aprender os caminhos que elas trilharam. 

Porém hoje quase 3 anos após o início da minha jornada pessoal no assunto percebo que esse movimento é muito mais forte e poderoso que isso. As mulheres sempre foram poderosas, mas hoje estamos nos reapropriando do nosso poder e mudando o mundo.

Por isso, se conectar e criar uma rede poderosa de mulheres não é apenas uma forma de impulsionar nossas carreiras, é principalmente uma forma de construir o mundo que queremos para as próximas gerações.

Quer fazer parte do nosso movimento? Então participe do Poder do Networking, para saber mais clique aqui

Vamos juntas?

Artigos Relacionados