novologomnc vetor prancheta copia
apoiar mães

Compartilhe

Facebook
LinkedIn
Twitter

5 formas de apoiar mães dentro das empresas

Hoje o “texto corporativo” será um pouco diferente, vamos falar de formas de apoiar mães dentro das empresas, mas olhando da perspectiva de uma mãe “recém formada”. Me chamo Samira França, trabalho na Mulheres no Comando a pouco mais de 5 meses.

Decidi escrever esse texto por algumas razões, e irei te contar um pouco da minha trajetória até aqui.

Saí de um emprego grávida de 5 meses, em uma depressão profunda, tomando medicamentos, com problemas familiares e não conseguia me dedicar como sempre me dediquei no ambiente que estava.

Depois de um desligamento muito carinhoso (essa empresa me ajudou muito), me dediquei apenas a tentar me levantar da cama todos os dias e achar razões para viver. Nem todos os dias eu consegui. Até que em setembro de 2021 minha princesa Lorena nasceu e ressignificou meu acordar.

Não, eu não me curei da depressão, ainda estou em tratamento, há dias bons e ruins, mas hoje tenho um motivo claro para querer melhorar que antes eu não tinha. E decidi que por pelo menos 1 ano não buscaria emprego, não me sentia capaz de voltar a trabalhar, tinha preocupação com minha bebê, com minha doença e afins.

E então, a Mulheres no Comando me achou no LinkedIn, disseram que o perfil era muito interessante para a vaga e se eu gostaria de participar de uma entrevista. Pensei “Por que não? Vou me sabotar para não conseguir mesmo. Não custa ver como me saio”

E aqui já vai a primeira forma de apoiar mães dentro da sua empresa

1 – Contrate mães

Não estou falando em contratar uma mulher apenas por ela ser mãe, mas se ela tem o perfil da sua vaga, por que não ela?

Fui contratada quando minha bebê tinha apenas 5 meses, porque acreditaram em mim, me disseram que isso nunca seria uma questão, olharam para mim além da condição de mãe. Não me perguntaram “com quem ela ficará se você precisará ir para o escritório?”, ou “se ela ficar doente, com quem ela ficará?”

Muito pelo contrário, essa abaixo sou eu com minha bebê no primeiro dia na empresa, onde fizeram questão de dar um café da manhã especial para as novas contratadas.

maternidade

E com isso, vem a segunda dica:

2 – Ofereça horários flexíveis

Ser mãe é uma instabilidade pura. Você nunca sabe que dia seu filho acordará gripado, ou com alguma questão de saúde, ou nenhuma das opções anteriores, apenas com muita carência emocional da mãe por perto.

Há dias que simplesmente não dá para fazer muita coisa sem ouvir um choro estridente, ou a preocupação da febre que não baixa, a creche que fechou por surto de catapora ou a babá que ficou doente e teve que faltar.

Enfim, são inúmeras coisas imprevisíveis, mas que com um horário flexível pode ser entregue sem grandes desfalques e sem que nós mais uma vez tomemos a culpa como sentimento principal, por não acudir o filho na reunião importante, ou por acudi-lo e acabar não desenvolvendo o que foi pedido.

É importante entender como empresa que horário cumprido não quer dizer necessariamente produtividade. Até porque, raramente uma mãe é produtiva com seu filho por perto. A flexibilidade de horário é importantíssima para que a mulher consiga se planejar e focar no momento que estipulou para fazer algo.

Ou até para atender urgências sem impactar a empresa de forma agressiva. Ofereça horários flexíveis e entenda de uma vez por toda que produtividade e entrega não tem a ver com mais horas trabalhadas!

3 – Crie grupos de afinidade

Nessa dica aqui, a ideia não é segregar apenas mães em uma bolha, mas trazer o assunto maternidade para rodas de conversas, fomentar a discussão sobre o quanto a maternidade pode ser um lugar sozinho, sem empatia.

Um grupo de afinidade com pessoas que gostem de discutir esse tema de forma saudável, sejam pais, tias, avós. É importante e saudável que possamos trocar experiências e situações que vivemos.

4 – Capacite as mães dentro das empresas

Muitas empresas tem iniciativas de cursos, mentorias e formações para funcionários. É comum que selecionem as pessoas mais engajadas do time, e depois disso checarem a disponibilidade da pessoa. Porém, muitas das vezes, a disponibilidade de uma mãe não é checada, por presumirem que ela não terá tempo suficiente para se dedicar aquela formação.

Ledo engano, claro que há possibilidade de que ela no momento atual não consiga, mas a grande maioria das vezes, elas querem esse tipo de incentivo, se organizariam para isso e não recebem essas oportunidades de forma igualitária.

Mulheres, principalmente as mães, arcam com grandes custos dentro de casa, e muitas vezes o salário já é contado. O que não sobra muito para conseguir fazer uma especialização, um curso de aprimoramento como gostariam.

Além de que, uma vez feito isso, a chance dela se desenvolver mais, se empenhar mais e por conta disso conquistar um salário maior é muito grande. O que nos faz ir a última dica de como apoiar mães dentro das empresas.

5 – Promova mães

Novamente, não precisamos ser literais ao ponto de achar que devemos promover uma mãe, apenas por ela ser mãe. O que quero dizer aqui, é que normalmente nós, mães, já lidamos com inúmeros tipos de situações, que fazem nossas softs skills serem aprimorados todos os dias.

Como exercitar a escuta ativa, ter boa comunicação, aprendemos rápido, somos dinâmicas, sabemos trabalhar sob grande demanda, e temos senso de liderança (afinal, criamos e somos responsáveis por outro ser humano em constante aprendizado), além de tomarmos decisões o tempo todo.

Todas essas habilidades com o conhecimento técnico da área de atuação já deveriam bastar para que as empresas olhassem essas mães como potenciais. Mas sabemos que infelizmente muitas das vezes não é assim.

O que podemos tirar disso tudo?

Eu costumo dizer que ser mãe é um eterno ciclo de culpa, você sempre se sentirá culpada por algo. Se conseguiu se dedicar ao máximo ao seu cargo em um mês, perceberá que não teve tanto tempo de qualidade com seu filho.

Ou, não conseguiu estar 100% focada no serviço porque precisou de mais tempo com sua criança. Ou conseguiu conciliar bem os dois, mas a casa está uma bagunça e seus cursos online estão todos parados.

Contudo, olhando de maneira mais macro, somos incríveis até mesmo quando não nos sentimos assim. Criamos um ser humano, produzimos dentro das nossas empresas, queremos sempre mais, somos ambiciosas por nós e pelos nossos filhos.

Equilibramos 5 ou 6 pratos todos os dias e ainda conseguimos sorrir no final. Não é um mar de rosas, não é fácil, principalmente para as mães solo. De qualquer forma, somos profissionais muito empenhadas e com muita sede de crescimento.

Aplique essas dicas em sua empresa e depois nos conte aqui como isso melhorou a produtividade e o crescimento da sua empresa!

Artigos Relacionados