novologomnc vetor prancheta copia
Networking impactos na carreira e dicas de como fazer

Compartilhe

Facebook
LinkedIn
Twitter

Networking: impactos na carreira e dicas de como fazer

Ao longo da minha carreira, tenho descoberto que algumas ações que podem parecer simples, na verdade funcionam como verdadeiros trampolins para alcançar espaços mais altos na nossa jornada. Neste artigo, quero compartilhar com você uma dessas práticas, que é a de fazer networking.

Não sei se você já tem alguma opinião sobre esse tema, afinal, o termo networking se tornou bastante clichê nos últimos anos e, em muitos casos, tem sido usado de forma equivocada. Mas aqui quero te mostrar como adotar essa prática para sua vida profissional de forma ética e inteligente, com objetivo de criar uma rede que te impulsione a ocupar espaços.

Isso me ajudou a construir o Mulheres no Comando e sei que vai ajudar a conquistar seus objetivos no mercado de trabalho também.

Networking vai além de conexões no Linkedin

Com a popularização do Linkedin como principal rede profissional atualmente, o termo networking também veio ganhando força, sempre atrelado a essa rede social. Para muita gente, fazer networking se tornou sinônimo de adicionar um grande número de pessoas e mandar mensagens padronizadas agradecendo pela conexão.

Outras ainda entendem networking como adicionar pessoas que têm potencial de te ajudar de alguma forma, seja no momento imediato ou num futuro próximo. Recentemente, vi algumas discussões no Linkedin que falavam sobre pessoas que apenas adicionavam profissionais da mesma área em cargos de nível hierárquico superior: uma seleção rigorosa e totalmente baseada em possíveis benefícios que as pessoas adicionadas poderiam trazer.

Preciso começar te dizendo que nada disso é fazer networking!

É verdade que networking é um processo intencional. No entanto, está longe de ser uma ação interesseira.

Não se trata de forçar a barra para criar relações, mas sim de criar conexões genuínas com pessoas que têm interesses em comum. Não se trata de chegar pedindo favores, mas sim de construir aos poucos relacionamentos profissionais de suporte mútuo.

Além disso, networking não se faz apenas no Linkedin, ele precisa se tornar uma prática do seu dia a dia, nos espaços que você frequenta e nas comunidades em que você está inserida. Vou te falar mais sobre os efeitos disso a seguir.

Como o networking me ajudou até aqui

O sentido da palavra networking está relacionado à criação de uma rede. Em todas as minhas experiências como profissional, e principalmente à frente do Mulheres no Comando, descobri o quão potente e essencial é ter uma rede bem construída.

Essa rede precisa ter pessoas que, independentemente da área em que atuam, podem agregar à sua trajetória. De quais formas? Pode ser com o compartilhamento de conhecimentos específicos sobre um tema, com trocas sobre o mercado de trabalho, com construção conjunta de visão estratégica, mostrando novas visões do mundo e até mesmo com suporte emocional em momentos desafiadores. 

Para mulheres no mercado de trabalho, fazer networking se torna quase uma questão de sobrevivência e bem estar. É com uma rede forte que nos inspiramos umas nas outras, somos impulsionadas e ganhamos tração para ocupar novos espaços.

Em contextos onde a equidade de gênero ainda é um alvo distante, o networking com outras mulheres e homens aliados à pauta permite que conversas avancem e ganhem a atenção de mais gente. Além disso, a rede se fortalece em momentos desafiadores, evitando que a gente desanime.

Por isso que vejo o networking como uma ferramenta que conecta propósitos. Com intencionalidade e disposição para ouvir e trocar com outras pessoas, vamos descobrindo profissionais que também estão em busca de mudanças relevantes no mercado e na sociedade. Descobrimos também que essas pessoas têm interesse em fortalecer a própria rede e a conexão se faz naturalmente.

Ter essa rede, muitas vezes me fez enxergar que eu não estava sozinha no meu desejo de transformação do mercado, nos meus objetivos e até mesmo nos meus desafios. O networking acaba reduzindo o sentimento de solidão que por vezes é comum na liderança feminina.

Além de caminhar junto com quem tem propósitos alinhados aos nossos, fazer networking e criar essa rede é também se colocar à disposição para ser suporte para outras pessoas. Networking deve ser sempre uma via de mão dupla, em que também oferecemos o que temos de melhor para fortalecer outras pessoas. 

Agora é sua vez! 6 dicas para fazer networking de verdade

Agora que você já deixou de lado os mitos sobre networking e entendeu como ele pode de fato ajudar sua carreira e seus projetos, quero compartilhar algumas dicas para você fazer networking de verdade! São práticas que me ajudaram a quebrar barreiras na hora de construir minha rede e certamente vão te impulsionar nesse processo.

1. Seja intencional e se dedique

Você tem preguiça de fazer networking? Pode confessar… Eu sei que muita gente tem alguns bloqueios para desenvolver novas relações, seja por timidez, pela agenda apertada ou mesmo por não saber se aquele esforço vai trazer algum resultado. 

Um primeiro passo importante é mudar a sua mentalidade sobre networking e desenvolver intencionalidade nessa prática, começando a adotá-la pelos motivos certos, que já falamos aqui acima. 

Assim como qualquer relacionamento, os de viés profissional também exigem dedicação, conversas, escuta ativa, troca de experiências e vontade de transformar aquilo em algo produtivo para ambas as partes. Por isso, coloque isso como uma parte da sua semana, algo que vai se tornar uma atividade da sua rotina.

2. Ouça histórias 

Ao longo da minha vida profissional fui notando que networking não se pauta apenas em conhecimentos específicos sobre uma área de atuação — e por isso a ideia de apenas adicionar pessoas de um setor não faz o menor sentido. 

A verdade é que as trocas se tornam muito mais valiosas quando envolvem vivências pessoais. Por isso, se dedique a ouvir a história das pessoas, a trajetória delas, como elas superaram desafios, quais são seus cases de sucesso e também seus cases de insucesso. Isso com certeza vai agregar muito valor ao seu repertório e criar conexões mais sólidas com as pessoas da sua rede.

3. Aproveite todos os espaços

Muito além do Linkedin, conexões relevantes podem aparecer em diferentes espaços do nosso dia a dia. Atualmente, com a volta de mais atividades presenciais no mundo corporativo, temos novas oportunidades para conhecer pessoas com interesses em comum, ouvir histórias e iniciar relacionamentos. 

Mas você também não precisa se limitar aos eventos corporativos para fazer networking. O dia a dia sempre pode proporcionar encontros interessantes e agregadores para vocês. Por isso, desenvolver um olhar que identifique esses momentos é essencial.

4. Se junte com pessoas que têm missões parecidas

Felizmente, as redes sociais nos permitem encontrar pessoas que têm missões em comum — o próprio algoritmo se encarrega de nos ajudar a descobri-las, não é mesmo? Então, vamos usar isso a nosso favor e dar o primeiro passo para conectar propósitos.

Caminhar em conjunto em direção a um mesmo objetivo é sempre melhor do que ir sozinha, mas infelizmente a sociedade criou diversas narrativas que acabam fomentando a rivalidade feminina e nos fazem acreditar que algumas conexões não são possíveis ou interessantes.

Deixe essas ideias de lado! Existe espaço para todas no mercado e a verdade é que conversar com mulheres que têm projetos e sonhos parecidos apenas pode servir para impulsionar e fazer com que mais pessoas sejam impactadas positivamente.

5. Seja parte da rede de outras pessoas

Mais uma dica importante que posso te dar é sobre a importância de compartilhar os seus conhecimentos com outras pessoas. 

Como falamos acima, networking é via de mão dupla e você certamente vai se ver na posição de ser inspiração e referência para alguém que deseja desenvolver uma conexão com você. Quando esse momento chegar, se abra a essa oportunidade de troca e descubra como você também pode colaborar para a trajetória de outra pessoa.

6. Deixe de lado a timidez

Sei que networking pode ser um desafio, principalmente para mulheres mais introvertidas. Não deixe que sua personalidade se torne uma barreira para avançar em conexões, basta pensar que você tem um círculo de amizades que se formou de maneira orgânica ao longo do tempo. Pense como essas amizades chegaram até você e tente seguir um processo similar, você não precisa mudar quem é!

Lembre-se de que você tem algo a oferecer também e que a pessoa do outro lado também está interessada em construir essa rede. Assim, falando de interesses em comum, você vai conseguir criar conexões verdadeiras.

E agora, se sente mais preparada para começar esse processo? Tenha certeza de que, quando o networking se tornar parte da sua vida, você vai perceber como ele é valioso e tem potencial de transformar seus próximos passos. Afinal, a rede que você constrói te impulsiona para a frente, te ajuda a ganhar novas visões de mundo, permite que você expanda sua mentalidade, desenvolva ideias inovadoras e se sinta mais forte para alcançar seus objetivos. 

Artigos Relacionados