novologomnc vetor prancheta copia
liderança ou especialização

Compartilhe

Facebook
LinkedIn
Twitter

Liderança ou especialização? Conheça seus objetivos!

Hoje, muito se fala sobre a escolha entre seguir o caminho de liderança ou especialização. Para cada tipo de perfil de profissional, existem diferenças que dependem de objetivos diferentes. Traçar um plano de carreira é uma escolha pessoal, e, muitas vezes, não é um ensejo linear.

Pode ser que em algum momento da sua vida profissional, você se depare com a questão: “eu possuo um cargo de especialista, porém, eu sinto que tenho potencial para guiar pessoas!”

Ou vice-versa, o contrário também pode acontecer. Isso não significa que você está perdido(a) profissionalmente, mas que você deve repensar alguns objetivos. 

Neste artigo, eu vou te ajudar a pensar sobre a liderança e a especialização, como conhecer seus próprios objetivos e descobrir qual tipo de carreira mais combina com você.

 

As principais diferenças

Entre as principais diferenças de um líder e um especialista, está o de desenvolver habilidades específicas de cada um. Confira quais são elas a seguir!

Líder 

O profissional em um cargo de liderança é aquele que possui preferência por trabalhar em equipe. Por causa disso, ele precisa ter a comunicação afiada e estar sempre em contato com seus liderados, para poder dar feedbacks constantes e estar aberto a tirar dúvidas e ter conversas.

O líder possui metas e as alcança através do seu envolvimento com pessoas. Um ponto muito importante do profissional na liderança é possuir soft skills aprimoradas, que demonstra saber lidar com inteligência emocional pessoal e dos liderados. 

Ram Charan, autor do best seller Pipeline de Liderança, defende que existem 6 transições do líder completo, que devem ser experienciadas em sua respectiva ordem, a fim de tornar uma pessoa capacitada para exercer o papel de líder.

Transição 1: gerenciar a si mesmo para gerenciar os outros

Nesta etapa, o autor defende a necessidade de aprender a atribuir tarefas, treinar e mensurar atividades dos outros. Aqui, é importante fazer o trabalho, “colocar a mão na massa” e incorporar uma mudança de valor.

Transição 2: gerenciar os outros para gerenciar gerentes

Na transição 2, os profissionais precisam se desapegar de tarefas individuais e começar a pensar em questões estratégicas do trabalho. 

Transição 3: gerenciar gerentes para gerenciar uma função

É hora de colocar a habilidade de comunicação a toda prova! Os líderes percebem a importância de diferentes funções e, mesmo que não as dominem, as valorizam e as gerenciam.

Transição 4: de gerente operacional a gerente de negócios

Nesta transição, a gerência financeira traz o benefício de possuir maior autonomia. Com isso, há o comando de diferentes funções e, novamente, a comunicação precisa ser colocada em prática.

Transição 5: de gerente de negócios a gerente de grupo

Inspirar e apoiar o grupo aqui são características essenciais para ser um bom líder. Assim, ele passa a ter uma perspectiva global ao administrar os negócios.

Transição 6: de gerente de grupo a administrador de empresa

Na última etapa de transição, os valores contam mais do que as habilidades, ou seja, os líderes passam por uma mudança de perspectiva e focam plenamente no todo. 

Esses níveis de transição exprimem muito bem os atributos que um líder deve ter e desenvolver para atingir o objetivo de possuir um cargo de liderança e exercê-lo de forma indulgente e habilidosa.

 

Especialista

O especialista é referência em sua área de atuação. Busca autonomia para tomada de decisões e, por isso, opta por maior liberdade de atuação dentro de sua área.

Quem se identifica como especialista tem tendência a gostar de fazer pesquisas e buscar conhecimento. Note aqui que o que se destacam são as hard skills, ou seja, as habilidades técnicas clássicas de cada função.

Às vezes, profissionais que possuem as características de um especialista não seguem esse caminho de carreira, por receio de não se tornarem bem-sucedidos e pensarem que somente um cargo de liderança traria sucesso.

 

Mas isso não é verdade!

É mito pensar que o líder possui um salário e condições de trabalho elevados. Crescer na carreira não significa só ser chefe ou gerir pessoas, dá para escolher ser especialista em uma função ou área e ter muito prestígio nessa escolha.

A seguir, separei algumas das características que acredito primordiais para se tornar um(a) especialista de sucesso:

  • É alguém determinado e que possui foco em resultados;
  • É altamente especializado em um assunto, fez cursos, pós graduação e especialização para atuar em determinada função;
  • Gosta de resolver problemas e tem facilidade em fazer isso.

E aí, você concorda?

 

Conheça seus objetivos sobre liderança ou especialização

Agora que já te contei sobre a liderança e especialização, você ainda pode ter algumas dúvidas. Por exemplo, como conhecer seus próprios objetivos e ir atrás deles? 

Vamos pensar juntos.

 

Olhe para si

Na hora de tomar decisões na vida profissional, o autoconhecimento conta muito para descobrir seu perfil. A partir do momento em que você tem conhecimento de suas habilidades e vontades, consegue se orientar em busca de seus objetivos.

Entender sobre seus pontos fracos e fortes e traçar metas também faz parte do autoconhecimento. Lembre-se que, nunca é tarde para buscar fazer o que toca sua alma e te faz feliz. 

Não pare de questionar

Independente do caminho escolhido, ter dúvidas é normal e vai estar com a gente pelo resto de nossas vidas, inclusive na vida profissional. Portanto, não é errado parar para se questionar de vez em quando. 

Essa dica é valiosa principalmente para nós, mulheres, que, na maioria das vezes, não somos incentivadas a exercer papéis profissionais e perseguir sonhos nessas áreas. 

Mas, ainda bem, esse cenário tem mudado e, para o futuro, esperamos que cada vez mais mulheres possam se descobrir no mercado de trabalho, sejam como líderes ou especialistas.

Artigos Relacionados