novologomnc vetor prancheta copia
lideranca

Compartilhe

Facebook
LinkedIn
Twitter

3 lições difíceis sobre a liderança

Segundo a Harvard Business Review, os líderes (a liderança no geral) são responsáveis por engajar cerca de 70% dos seus colaboradores, ou seja, eles impactam diretamente no bem estar e produtividade de seus times.

Existem diversas formas e teorias para falar de liderança e eu vejo que na maior parte das vezes criamos essa ideal do líder em frases como:

“Líderes são aqueles que motivam e dão um propósito para as pessoas seguirem”,

“Líderes oferecem o caminho da coragem e transformação.”

“Liderar não é impor, é despertar a vontade de as pessoas fazerem.”

Assim, seguimos criando essa expectativa que assim que as pessoas assumem uma posição de destaque, com um cargo ou não, magicamente irão do dia pra noite acordar como esse líder exemplo.

Sabemos que não é assim que acontece, que a construção de uma boa liderança passa por muitos erros e aprendizados e muitas vezes essas lições são difíceis e levamos algum tempo para compreender e amadurece-las.

Quando eu era criança,  adolescente e até mesmo na faculdade, sempre ouvi de pessoas ao meu redor me dizerem que eu era uma “líder nata” e eu achava que isso significava algo.

Até a realidade bater na porta e compreender  que existe um grande gap entre ter um potencial de liderança e ser realmente uma boa líder. Ainda estou nesse processo de aprendizado e quero compartilhar aqui com vocês as 3 lições que foram cruciais no meu caminho:

1-  Lutar contra a vontade de querer agradar todo mundo

Acho que todos nós já passamos por uma situação em que você viu seu chefe ter algum posicionamento e discordar dele pensando: “Ah, mas se fosse eu, faria diferente..” e eu também já pensei isso diversas vezes, inclusive sempre fui muito crítica e questionadora das lideranças que eu tive e em diversos momentos me pegava pensando no tipo de líder que gostaria de ser.

Bom, depois de algum tempo liderando times compreendi que muitas vezes presa nesse ideal de ótima líder que gostaria de ser, eu acabava confundindo querer agradar as pessoas e deixar elas confortáveis, com exercer a liderança e tomar as decisões difíceis que precisam ser tomadas.

O que é liderar?

Liderar muitas vezes é um papel solitário em que seu time nem sempre vai ter a dimensão de tudo que está acontecendo e portanto muitas vezes irá discordar com algumas posturas e posicionamentos tomados.

Aprendi que ser uma boa líder não significa atender todos os desejos e necessidades das pessoas, mas sim ser justa e tomar as decisões necessárias para assegurar o melhor para o grupo, mesmo que isso signifique tomar decisões impopulares em que você será fortemente questionado.

2- Não é necessário que você tenha todas as respostas para chegar a liderança

No modelo de liderança tradicional das hierarquias em que tomadas de decisões eram feitas de cima para baixo, os líderes eram responsáveis por oferecer respostas definitivas para o time, isso talvez funcionasse em um modelo tradicional em que existia um protocolo muito claro de direcionamento a ser seguido.

Quando estamos falando de uma era digital em que as informações e as mudanças acontecem a cada minuto, nem sempre teremos de pronto todas as respostas, nas metodologias atuais de liderança, como o Management 3.0, o papel do líder é muito mais de conduzir e facilitar esses direcionamentos contando com a visão das pessoas do time do que oferecer uma resposta pronta.

Na verdade, envolver as pessoas no processo de decisão, quando possível, nos dias atuais vai ser essencial para que as pessoas se sintam incluídas e engajadas. Olhando da perspectiva de diversidade, ter a visão de experiências diferentes vai ser crucial para o processo de inovação e de um ambiente mais inclusivo.

3- É possível se mostrar humano e vulnerável na liderança

Ainda na linha de romper os tabus estabelecidos por esse modelo de uma liderança tradicional, na minha experiência como líder, os momentos em que eu mais me conectei com meu time foram os momentos em que me mostrei vulnerável.

Assumir seus erros e que você também está em um caminho de aprendizado pode parecer contraintuitivo ao estar nesse papel de liderança, porém são esses momentos que definem a coragem de se mostrar verdadeiro e autêntico.

Muito se fala hoje sobre liderança por inspiracional e ao contrário do que se pensa, a admiração das pessoas vem muito mais do fato de te ver como um ser humano que tem dificuldades, comete erros e aprende com eles, do que com uma imagem distante e que parece intocável, que não se conecta com as pessoas.

No final do dia conduzir as pessoas para um objetivo e fazer com que elas estejam alinhadas com um propósito significa entrar na arena de verdade, ser visto inteiro, assim as pessoas que realmente estão alinhadas no mesmo propósito e objetivo irão estar ao seu lado, não importa a situação.

Maya Angelou resumiu tudo que acredito sobre liderança em uma frase:

O verdadeiro líder tem a confiança de estar sozinho, a coragem de tomar decisões difíceis, e a compaixão de ouvir a necessidade dos outros. Ele/Ela não pretende ser um líder, mas torna-se um pela equidade de suas ações e a integridade de sua intenção.

Artigos Relacionados